ENTREVISTA – José Fernando Vian, de Serra Azul Líder é obstinado por melhorias no setor público

Entrevista

A presidente do SindServ Salto de Pirapora (Sindicato dos Servidores Públicos), Elci Luciane Faustino, participou do programa Cidade Aberta, na rádio Transversal, ontem dia 30 de janeiro. Na ocasião, Elci abordou a importância do movimento sindical em prol dos Servidores e, principalmente, em ter representantes do setor público no cenário político municipal, estadual e Federal.

AVALIAÇÃO – Elci afirma: “Agradeço o espaço disponibilizado pelos amigos da rádio Transversal para propagar a importância da luta sindical aqui em Salto e em todo o País. Explicamos um pouco do cenário político que, atualmente, não é nem um pouco favorável ao trabalhador. Só vemos retiradas de direitos e é por isso que precisamos de representantes neste meio. Este ano podGuerreiro, focado e obstinado em prol das causas do funcionalismo. Esse é o companheiro José Fernando Vian, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Serra Azul, entidade que corre ao lado da nossa Federação. O líder protagoniza um grande trabalho junto à categoria e tem o respeito dos trabalhadores devido sua conduta combativa e sem medo de lutar.

Apaixonado por música, ele abriu mão da vida corrida como técnico de som em uma empresa privada que executa grandes eventos e shows nacionais e internacionais para ficar mais próximo da família. Conta com a compreensão e apoio incondicional da esposa, Deusa Maria, e da filha Joana Barbieri a fim de lutar pelos seus sonhos. Conheça um pouco de sua história de vida, lutas e anseios.

CONFIRA ABAIXO A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA COM ESSE IMPORTANTE LÍDER

José Fernando Vian já passou por diversas
experiências profissionais; hoje, o sindicalista
atua em prol dos Servidores de Serra Azul1) José, conte um pouco da sua vida pregressa.
Sou filho de João Vian e Maria Terezinha Pena Vian, uma família muito simples de Serra Azul. Aos seis anos meu pai faleceu e minha mãe, que sempre foi uma mulher batalhadora, criou a mim, minhas duas irmãs
e mais um irmão de coração. Tudo com muito trabalho. Ela era Servidora, mas costurava nas horas vagas para complementar a renda. Nos ensinava os princípios básicos e dava uma boa educação para que conseguíssemos trilhar na vida o caminho do bem.

2) Fale um pouco sobre sua carreira profissional.
Fui engraxate com nove anos de idade, esse foi meu primeiro emprego. Depois atuei como servente de pedreiro, trabalhei pesado na roça, com a plantação e colheita de cana e também algodão. Capinava e fazia o serviço que aparecesse, pois gostava de ter meu próprio dinheiro e precisava contribuir com as despesas de casa.

3) É verdade que já foi militar e também empresário?
Sim. Quando adulto, passei em um concurso e virei Policial Militar, mas não segui carreira. Quando voltei pra casa, tornei-me empresário artístico na M.C Produções e depois passei a atuar como técnico de som trabalhando com vários artistas do cenário nacional e internacional. Com essa experiência, fui pioneiro e montei uma discoteca na minha cidade e também viajei com a discoteca tornando-a móvel. Conseguimos muita repercussão e reconhecimento através desse serviço.

4) O que o motivou a voltar ao serviço público e se tornar Servidor municipal?
Quando tinha voltado para Serra Azul novamente com a discoteca, fiquei sabendo que a Prefeitura havia publicado edital de concurso. Como eu trabalhava somente os finais de semana, resolvi prestar e passei. Em 2001, quando foi feito o chamamento, assumi o meu cargo de Motorista na Administração.

Ações da Federação e do funcionalismo de Serra Azul sempre contam com a presença do dirigente Vian

5) Como foi essa experiência inicial no funcionalismo?
Um pouco decepcionante. Senti que por mais que o Servidor faça, não tem o reconhecimento merecido dos gestores, a não ser que esteja no mesmo partido ou seja da “panelinha” do prefeito. Não sabia exatamente como ajudar, mas sentia que algo precisaria ser feito com mais obstinação para combater algumas arbitrariedades. Daí iniciou um desejo de lutar por toda a categoria.

6) Como iniciou sua trajetória junto ao Sindicato?
Por iniciativa da antiga presidente, a Maria Francisca de Paula. Em uma certa ocasião, ela conversou comigo e me disse que eu tinha que ser candidato a presidente do Sindicato porque eu não temia represálias e debatia sem medo com o Prefeito nas reuniões e o funcionalismo reivindicava para que eu me tornasse líder da entidade. Foi então que decidi aceitar o desafio e tive 99% dos votos.

7) Quais desafios enfrenta atualmente e como tenta resolvê-los?
Um dos principais é conquistar direitos que não foram concedidos pela Administração passada, como as horas-extras, mas já estão na Justiça do Trabalho, pois o Sindicato tem em seu quadro um ótimo advogado. Já a minha relação com a categoria é das melhores e eu não falo apenas o que eles querem ouvir, mas falo o que é possível e real. Isso nos mantém num vínculo de confiança entre Servidor e Sindicato e tenho total apoio dos Servidores e de toda a diretoria.

8) Como iniciou a relação do Sindicato com a Fesspmesp?
É engraçado e triste. Estava em um velório de um amigo quando me chamaram e disseram que alguns homens me procuravam. Fui ver tinha um carro vermelho da Fesspmesp. Era o presidente Aires, o Claudio (Ted) e o Araken. Pediram desculpas, mas como estavam em deslocamento e em visita à base, souberam que eu seria o futuro candidato no Sindicato eles queriam falar comigo.

Eu destaquei disse que ainda não tinha nada certo e não sabia se realmente eu seria candidato, mas por educação convidei eles para ir até minha casa para conversar. Lá, o Aires me disse tudo o que poderia lutar em prol de mudanças, tanto do funcionalismo como da população e foi ai que entendi. Com minha vontade de mudança e a ajuda da Fesspmesp poderíamos valorizar a situação do setor.

José Fernando Vian é um dirigente querido por seu espiríto de luta e dedicação pelos Servidores Municipais

9) O que já conquistou e quais seus projetos futuros?
Tivemos algumas. Conseguimos 50% do vale alimentação para os Aposentados, licença-prêmio, faltas abonadas, aumento dos dias de nojo, gala, e etc. Agora, este ano, lutamos para que seja implantado um Piso Salarial e o Plano de Cargos Carreiras e Salários e a montagem da CIPA no município.

10) Como avalia o trabalho da Federação?
Ao meu ver, é um trabalho exemplar, pois busca e retransmite aos seus filiados conhecimentos e informações através de reuniões feitas com palestrantes de várias áreas. Assim, nós, presidentes, podemos nos manter por dentro de tudo e aptos para sentar às mesas de negociação e reivindicar os devidos direitos para o funcionalismo. É um grande e importante diferencial para qualquer entidade.

11) Deixe uma palavra para os Servidores de Serra Azul.
Servidores: esta diretoria e o presidente não param nunca. Estamos sempre na luta e buscamos incessantemente melhores benefícios, salários, condições de trabalho e valorização. Tenho convicção de que juntos somos mais fortes quando lutamos pelo mesmo ideal. Faça parte desse projeto!mos mudar isso”

Deixe uma resposta