Inflação em janeiro avança 0,32%, puxada por alimentos e bebidas; gasolina cai 2,41%

Geral

Pressionada pelo setor de alimentos e bebidas, a inflação atingiu 0,32% em janeiro, informou o IBGE nesta sexta-feira (8).

Em 12 meses, o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) subiu 3,78%, ainda abaixo do centro da meta do governo, então de 4,5%.

Dentro do grupo alimentação em domicílio, o impacto veio em maior parte pela alta do feijão carioca (19,76%), da cebola (10,21%), das frutas (5,45%) e das carnes (0,78%).

A alimentação fora de casa também acelerou, chegando a 0,79%, enquanto em dezembro a alta foi de 0,33%.

Pelo terceiro mês consecutivo os combustíveis caíram. Desta vez, porém, com uma queda de 2,09%, não tão acentuada como a de 4,25% no mês passado.

Neste segmento, o maior impacto veio da gasolina, com uma retração de 2,41%. Com exceção de Salvador, onde esse combustível registrou alta de 1,50%, as demais áreas apresentaram queda, tendo a cidade de Aracaju o maior recuo, de 5,98%.

Apesar dos combustíveis recuarem, o segmento de transportes avançou no primeiro mês de 2019,  após a deflação de 0,54% em dezembro. A maior contribuição para que esse grupo crescesse veio dos ônibus urbanos, que apresentaram alta de 2,67%.

Esse movimento positivo foi puxado por reajustes nos transportes de cinco das 16 regiões pesquisadas durante o período, apresentando Belo Horizonte a maior alta (11%). São Paulo tem o segundo maior aumento, (7,50%),que ocorreu em 7 de janeiro.

Já o grupo habitação, que também teve deflação em dezembro, agora avança 0,24%. Os destaques para esse crescimento ficaram com os aluguéis residenciais (0,42%) e os condomínios (0,77%). Já a energia elétrica, embora continue em queda (-0,13%), registrou um recuo menos brusco que o do mês passado, de 1,96%.

 

Fonte: Folha de SP

Deixe uma resposta