Confederação dos Servidores Públicos propõe Adin contra golpe dado nos trabalhadores brasileiros

destaque

As centrais Sindicais, em reunião realizada nesta quinta-feira, dia 7 de março,
consideram a MP 873, orquestrada pelo presidente Bolsonaro, um grave ataque contra
o princípio da liberdade e autonomia sindical pois ela determina todos os mecanismos
para inviabilizar o financiamento das entidades de classe. “E por que ele, o presidente
Bolsonaro faz isso? Porque trabalhador desorganizado não tem força para reivindicar
condições dignas de trabalho, salários decentes e outros benefícios só conquistados
através do trabalho em prol de todos”, destaca o presidente da CSPM e Fesspmesp,
Ayres Ribeiro.

Ele lembra que a medida foi editada em pleno feriado, o que só demonstra má fé. E
isso acontece no momento em que cresce no seio da classe trabalhadora e do
conjunto da sociedade a resistência ao corte de direitos de aposentadoria e
previdenciários em marcha com a apresentação da proposta de Reforma da
Previdência que já tramita no Congresso Nacional. ”

Os servidores púbicos municipais estão convocados desde já para participar no dia 22
de março próximo, do Dia Nacional de Lutas contra o fim das Aposentadorias e por
uma Previdência Social Pública. Nesse dia serão realizados atos públicos, greves,
paralisações e mobilizações contra o projeto da reforma da previdência do presidente
Bolsonaro.

“Queremos que a MP seja rejeitada pelo Congresso Nacional”, afirma Ayres Ribeiro,
lembrando que o prazo de vigência de uma Medida Provisória é de 60 dias,
prorrogáveis uma vez por igual período. Se não for aprovada no prazo de 45 dias,
contados da sua publicação, a MP tranca a pauta de votações da Casa em que se
encontrar (Câmara ou Senado) até que seja votada.
Assista ao vídeo com a mensagem do presidente, Ayres Ribeiro, aos
trabalhadores:

Deixe uma resposta